Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://observatorio.fm.usp.br/handle/OPI/1187
Título: Prevalence of overweight preschool children in public day care centers: a cross-sectional study
Autor(es): NASCIMENTO, Viviane GabrielaSILVA, Janaina Paula Costa daBERTOLI, Ciro JoaoABREU, Luiz CarlosVALENTI, Vitor EngraciaLEONE, Claudio
Parte de: SAO PAULO MEDICAL JOURNAL, v.130, n.4, p.225-229, 2012
Resumo: CONTEXT AND OBJECTIVE: Brazil is undergoing a period of epidemiological transition associated with demographic and nutritional changes. The prevalence of obesity is also increasing in children and is causing numerous health problems that are becoming public health issues. The aim here was to evaluate the prevalence of overweight among children of two and three years of age. DESIGN AND SETTING: Cross-sectional study in municipal day care centers in Taubate, state of Sao Paulo, Brazil. METHODS: Weight and height measurements were made on 447 preschool children forming a probabilistic randomized sample. Their body mass index (BMI) was calculated. Their nutritional status was classified using the World Health Organization reference cutoff points (2006). Their mean weight, height and BMI were compared according to their age and sex. RESULTS: The mean values for the final sample (n = 447) were as follows: mean age: 38.6 months (+/- 3.5) and Z scores for: weight/height (W/H): 0.50 (+/- 1.22); height/age: -0.03 (+/- 1.07); weight/age (W/A): 0.51 (+/- 1.23); and BMI: 0.51(+/- 1.23). The prevalence of overweight children (BMI > 1 z) was 28.86%, while the prevalence of underweight children (BMI < -2 z) was 0.89%. There were no differences in mean BMI among the two and three-year age groups (P = 0.66). CONCLUSION: A high prevalence of overweight was observed in the sample of two and three-year-old children, with practically no malnutrition, thus showing that a significant nutritional transition may already be occurring, even in medium-sized cities of developing countries.

CONTEXTO E OBJETIVO: O Brasil atravessa um período de transição epidemiológica com mudanças demográfica e nutricional. A prevalência de obesidade está aumentando também entre crianças, causando inúmeros problemas de saúde, que estão se tornando questões de saúde pública. Objetivou-se avaliar a prevalência de excesso de peso em crianças de dois e três anos. TIPO DE ESTUDO E LOCAL: Estudo transversal em creches municipais de Taubaté, São Paulo, Brasil. MÉTODOS: Em amostra probabilística e randomizada de 447 pré-escolares, foram mensurados peso e altura, e calculado o índice de massa corporal (IMC). O estado nutricional foi classificado segundo pontos de corte do referencial da Organização Mundial de Saúde (2006). Compararam-se os valores médios de peso, estatura e IMC das crianças segundo a idade e sexo. RESULTADOS: A amostra final (n = 447) apresentou as seguintes médias. Idade: 38,6 meses (± 3,5), escore Z de peso para estatura (P/E): 0,50 (± 1,22), estatura para idade (E/I): -0,03 (± 1,07), peso para idade (P/I): 0,51 (± 1,23) e IMC: 0,51(± 1,23). A prevalência de excesso de peso (IMC > 1 z) foi de 28,86% e de crianças abaixo do peso ideal (IMC < -2 z) foi de 0,89%. Não houve diferença das médias de IMC entre as idades de dois e três anos (P = 0,66). CONCLUSÃO: Na população de crianças de dois e três anos de idade, já se evidencia elevada prevalência de excesso de peso, praticamente sem desnutrição, indicando que já pode estar ocorrendo uma transição nutricional importante inclusive em cidades médias de países em desenvolvimento.
Aparece nas coleções:

Artigos e Materiais de Revistas Científicas - FM/Outros
Outros departamentos - FM/Outros


Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
art_VALENTI_Prevalence_of_overweight_preschool_children_in_public_day_2012.PDFpublishedVersion (English)143.74 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.