Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://observatorio.fm.usp.br/handle/OPI/5792
Título: Preferência pela via de parto: uma comparação entre gestantes nulíparas e primíparas
Autor(es): BENUTE, Gláucia Rosana GuerraNOMURA, Roseli YamamotoSANTOS, Amanda Maihara dosZARVOS, Mariana ArenaLUCIA, Mara Cristina Souza deFRANCISCO, Rossana Pulcineli Vieira
Parte de: REVISTA BRASILEIRA DE GINECOLOGIA E OBSTETRíCIA, v.35, n.6, p.281-285, 2013
Resumo: PURPOSE: It was to describe and compare the preference of nulliparous and primiparous women for a particular mode of delivery and to determine whether the previous experience of childbirth influences the delivery process. METHODS: We conducted a prospective cross-sectional study. One-hundred interviews were held with 56 nulliparous and 44 primiparous women using previously prepared questionnaires. The quantitative and categorical data were evaluated by the chi-square or Fisher's Exact Test. RESULTS: 60.7% of nulliparous women and 70.5% of primiparous women reported to prefer vaginal delivery. When analyzing the answers about receiving sufficient information about the type of delivery, the presence or absence of influence on the choice of route of delivery and the preferred route of delivery by the partner, there were no statistically significant differences between the two groups. The level of significance used for the tests was 0.05. CONCLUSIONS: This study permitted us to conclude that the previous experience of delivery does not influence the expectation of the delivery process or the choice for a specific mode of delivery. When choosing the route of delivery, women seek to ensure the health of mother and neonate, as well as to avoid the process of pain and suffering.

OBJETIVO: Foi descrever e comparar a preferência pela via de parto entre gestantes nulíparas e primíparas, e verificar se a vivência anterior do parto exerce influência no processo de parturição. MÉTODOS: Foi realizado um estudo transversal prospectivo. Foram realizadas 100 entrevistas com questionários previamente elaborados com 56 gestantes nulíparas e 44 primíparas. Os dados categóricos e quantitativos foram avaliados pelo qui-quadrado ou Teste Exato de Fisher. O nível de significância utilizado para os testes foi de 0,05. RESULTADOS: Das gestantes, 60,7% das nulíparas e 70,5% das primíparas relataram preferir o parto por via vaginal. Ao se analisar as respostas sobre ter recebido informações suficientes sobre o tipo de parto, a existência ou não de influências na escolha pela via de parto e a preferência da via de parto pelo parceiro, não foram evidenciadas diferenças significativas entre os dois grupos (p>0,05). CONCLUSÃO: O presente estudo permitiu concluir que a vivência anterior do parto não exerce influência na expectativa do processo de parturição nem na escolha por determinada via de parto. As mulheres, ao optarem pela via de parto, buscam garantir a saúde materna e do neonato, bem como evitar o processo de dor e sofrimento.
Aparece nas coleções:

Artigos e Materiais de Revistas Científicas - FM/MOG
Departamento de Obstetrícia e Ginecologia - FM/MOG

Artigos e Materiais de Revistas Científicas - HC/ICHC
Instituto Central - HC/ICHC

Artigos e Materiais de Revistas Científicas - LIM/57
LIM/57 - Laboratório de Fisiologia Obstétrica


Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
art_BENUTE_Preferencia_pela_via_de_parto_uma_comparacao_entre_2013.PDFpublishedVersion (Portuguese)137.04 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.